quinta-feira, 5 de abril de 2012

"Pai perdoa"

E, quando chegaram ao lugar chamado a Caveira, ali o crucificaram, e aos malfeitores, um à direita e outro à esquerda.
E dizia Jesus: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. E, repartindo as suas vestes, lançaram sortes.
E o povo estava olhando. E também os príncipes zombavam dele, dizendo: Aos outros salvou, salve-se a si mesmo, se este é o Cristo, o escolhido de Deus.
E também os soldados o escarneciam, chegando-se a ele, e apresentando-lhe vinagre
Lucas 23:33-38

Vários olhares de ternura foram lançados na direção de Jesus durante o seu ministério. Mas aquele dia a própria ternura se ausentou do firmamento e não quis ver o que acontecia.
Naquele dia os olhares de carinho eram raros na multidão, e só podiam ser vistos nas frinchas, nas curvas, nos becos, escondidos. Os gritos já não eram de acolhimento. Não se ouvia “Hosanas!”
Os gritos eram outros. Gritos de ódio. Jesus era arrastado até o lugar da Caveira. No caminho o xingavam, cuspiam nele.
Jesus tomou tapas na cara, foi açoitado, disseram mentidas sobre ele e o condenaram por uma verdade:
- Ele era e é o filho de Deus!

Chegando no lugar da tortura maior, de repente surgem cravos enormes nas mãos dos algozes de Jesus. José de Arimatéia é dispensado. O madeiro é preparado. Jesus é colocado no chão. Uma mão se levanta. A mesma mão desce violentamente, sem misericórdia. Jesus urra de dor. Era o primeiro cravo. Repete-se o gesto. Mais um cravo. Unem os seus pés. A mão se levanta novamente. Ela desce com um entusiasmo maligno. Sangue por todos os lados. A gente que acompanhava a cena se cala. Levantam Jesus, agora preso à cruz. Sua respiração é difícil e não pode sequer apoiar a cabeça. Há uma coroa de espinhos sobre si.

À tanta violência, a resposta de Jesus foi com uma oração. E esta oração não era por seus amigos, por seus seguidores, discípulos, por sua família. A sua oração não amaldiçoa ninguém, tampouco pede vingança. A oração de Jesus é ilógica. A oração de Jesus é loucura, como toda a sua pregação. A oração de Jesus é por aqueles que nele cuspiram. A oração de Jesus é por aqueles que o acusaram injustamente. A oração de Jesus é pelos que o condenaram. A oração de Jesus é por aquele homem que levantou seu braço e o desceu na direção dos cravos seguidas vezes. A oração de Jesus foi por você. A oração de Jesus foi por mim.

Jesus se compadece de seus torturadores. Ora por eles.

E assim nos ensina que há momentos que as palavras não resolvem, mas um gesto pode demonstrar a que viemos, no que acreditamos e quem de fato somos. Jesus nos ensina exatamente o que Deus espera de nós e Deus espera que nossas mãos estejam abaixadas para a violência e levantadas para o acolhimento, para o perdão.
Há momentos que as palavras não resolvem, mas o gesto de Jesus demonstra amor por nós... o gesto de Jesus demonstra amor por você.

Jonatas Cavalheiro

2 comentários:

Danilo disse...

Belas palavras

Noemi disse...

Visitando su blog desde El Salvador Centroamerica, reciban un afectuoso saludo, desde mi blog www.creeenjesusyserassalvo.blogspot.com
COMPARTO MI TESTIMONIO PARA LA GLORIA DE DIOS.
RECIBAN MUCHAS BENDICIONES.